27 de mai de 2011

2.000 km rodados


Olá pessoal,

Na semana passada o Gurgel Elétrico atingiu 2 mil km rodados.
A última avaliação tinha sido com 800 km. Neste intervalo de tempo, fevereiro a maio de 2011, e nos 1200 km percorridos, não tive nenhum problema com o carrinho. Exceto, é claro, com as baterias. Logo após completar os primeiros 800 km, tive que trocar o jogo de baterias. Então passei a rodar com as baterias Optima, da Johnson Controls.

Com estas baterias o carro passou a apresentar um bom rendimento. Depois de ter rodado 50% a mais do que com o primeiro jogo de baterias (estacionária Freedom 2000), 9 das 10 baterias têm comportamento perfeito.

1 das 10 baterias passou, recentemente, a apresentar um aumento rápido de voltagem durante a carga e, rápida queda de voltagem na descarga. Desta forma, como as baterias estão em série, atinge voltagens muito altas na carga e, depois, em uso, tem queda prematura da tensão, obrigando a parar o veículo, mesmo que as demais baterias apresentem estado de carga bom. Desta forma retirei a bateria com problema e voltei a andar com 9 baterias.
Vale lembrar que logo que recebi as baterias Optima, tive problema com uma bateria, que apresentava baixa capacidade e aquecia. Esta mesma foi trocada por esta segunda bateria problemática.
As demais 9 baterias apresentam características muito parecidas. Carregam com tensões muito próximas e também descarregam de forma muito similar. Assim, a autonomia do carro tem se mantido em torno de 35 km, sem colocar nenhuma bateria em tensões abaixo de 10,5 Volts, sob carga de funcionamento.
Estou encaminhando novamente a bateria problemática para a revenda da Optima. Espero que consigam resolver o problema.

Fora o problema com as baterias, todo o restante funcionou perfeitamente. Nenhum problema com o motor nem com o sistema de controle de potência.

Reforcei a suspensão. Porém, as molas dianteiras, helicoidais, que foram esticadas re re-temperadas, voltaram a baixar um pouco. Talvez tenha que trocar as mesmas por novas. As traseiras, de feixes de lâminas, ficaram perfeitas. Quando ando com uma pessoa no carro ele se comporta relativamente bem. Com duas pessoas, em terreno ruím, chega a bater no final do curso da suspensão.

Outra melhoria que foi muito boa, foi a inclusão dos voltímetros individuais para cada bateria. Assim detectei também o problema com a bateria que descarrega muito rápido.

Bem pessoal, por hora é isto. Se alguém tiver algum comentário que ajude a melhorar o desempenho do carrinho, por favor, me deixe saber.

Grande abraço,
Pimpão

7 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa! Ja pensou em colocar um motor auxiliar para carregar as baterias em qto andar: E qto gastou: Brasil ta ficando para tras mais uma vez em termos de p&D

    ResponderExcluir
  2. Carlos, creio que a carga individual das baterias seja o que proporcionará o maior aumento da vida útil delas. E, claro, um conjunto de supercapacitores para picos de consumo, mas aí o negócio fica muito caro.

    ResponderExcluir
  3. carlos, parabens. eu tinha um supermini e estava decido a transforma-lo em elétrico. contactei com vários vendedore na china para comprar um motor de 12kw bldc e baterias de lithiun ion mas houve muitas barreiras aqui no brasil para a importação. esperava que o tal carro eletrico que está em teste da universidade de santa catarina com a empresa suiça fabricante das baterias estivesse pronto e a venda nesse ano mas nada. vou esperar até o ano que vem em 2012 pra ver se realmente os VE´s da renault e nissan estejam a venda no brasil. garantiram que estaria

    ResponderExcluir
  4. Parabéns você é um precursor aqui no Brasil, mostrando que é possível usar um carro elétrico apesar de tudo, do conservadorismo, do peso negativo da mídia etc...

    Eu, vendo isso, continuo lamentavelmente com meu carro a motor térmico com falta de conhecimentos práticos ou de dinheiro para mandar fazer... Eu estou me tornando em direção de uma solução mais leve ainda o velomóvel com assistência elétrica. Por enquanto, quando for possível vou trabalhar de bicicleta elétrica.

    Emmanuel,
    Blog Vitória Sustentável,
    http://manouchk.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. bem "Carlos Eduardo Althoff Pimpão" seu projeto é lógico que esta bom, observei no projeto do Elifas Gurgel veja no site dele, que ele teve que colocar um circuito em cada bateria, que controla a carga e descarga individualmente, esse tipo de controle eu tambem vi em projeto de um americano, ele teve o mesmo problema que voce , ou seja uma bateria estava diferente das outra, observe que os projetos que estou falando a voce utilizam baterias ion de litio, mas o raciocinio me parece o mesmo, bem , eu estou com problemas de achar um controlador ou inversor para motor AC 380 trifasico, ou seja quero colocar um banco de bateria+inversor+controlador de velocidade+motor ac trifasico,,, abraços e boa experiência!FRANCISCO DE ASSIS GURGEL;;;

    ResponderExcluir
  6. Pessoal, obrigado pelos comtentários.
    Tenho pensado em como colocar um gerador a gasolina para aumentar a autonomia. O difícil é como conseguir um de alta eficiência aqui no Brasil.
    Quanto aos carros elétricos no Brasil: não deve acontecer nada em 2012 de diferente. OU seja, nada de carros elétricos.
    Conheço bem o Elifas, com estive em Brasília estes dias. Sem dúvida um BMS seria algo muito vantajoso. Estou tentando desenvolver um sistema simples e funcional. Vamos ver se chego lá.
    Abraço a todos.
    Pimpão

    ResponderExcluir
  7. Francisco, não temos hoje um motor e inversor específico para esta aplicação no Brasil. A WEG e o Paulo R L Barbosa da Nova PRecursor / NPR Eletronica(você encontra ele no grupo de discussão de veículos elétricos do google) estão desenvolvendo kits. Mas não acredito que fiquem prontos este ano. Hoje, terá que importar ou desenvolver por conta própria.
    abraço,
    Pimpão

    ResponderExcluir